#VisionesComunes

Narrativas de un mundo emergente

Licencia:
Lang: ES | BR | EN | FR
Open Cinema, Open Documentary, Copyleft Film, P2P Production

O Projeto

#VisõesComuns: narrativa de um mundo emergente é um vídeo documental que busca relatar as práticas em torno dos bens comuns naturais, culturais, tecnológicos e científicos existentes na América Latina, visualizar suas conquistas e seus principais desafios ao paradigma capitalista hegemônico.

O Projeto
A idéia de #VisõesComuns é gerar convergências entre diferentes lutas, ações, sonhos, alternativas, apostas e irreverencias que já existem e inspirar a mais movimentos, organizações e indivíduos a aderir-se a este irrevogável caminho de transformar o mundo.

A gestão comunitária ao redor dos bens comuns, tem antiga data. No entanto, nas últimas décadas, o enclausuramento deste bens que pertencem a toda a humanidade e a si mesmos tem aumentado a uma escala sem precedentes através das privatizações e da patentes, que abarcam desde as sementes e os elementos do ecossistema, até a genética, as redes virtuais e o software.

Hoje, um movimento surgido a partir de diversas ações pelo mundo afora, está sendo articulado por meio da tecnologia, da mídia alternativa, dos princípios comunitários, do diálogo e da partilha, para resultar em uma façanha com tintes históricos. As comunidades são reconfiguradas e recriadas em diferentes áreas, e suas assimetrias formam um universo vivo, questionando a dinâmica dos obsoletos paradigmas modernos da política e da economia.

Este documental tem como objetivo compartilhar essas visões e experiências que dão origem à narrativa de um mundo emergente, marcado pela partilha em vez da privatização, pela comunhão em vez do individualismo. Pro-comum, bens comuns, ou simplesmente Commons são maneiras de chamar esse movimento planetário também conhecido como #globalrevolution.

#VisõesComuns: Narrativas de um mundo emergente reflete esse movimento desde adentro da América Latina, e apela aos governos, à sociedade civil e as empresas para organizar ações para um mundo em que a dignidade da vida é o valor principal.

Objetivos
O objetivo final do documental é visibilizar as experiências de organizações e de movimentos sociais ao redor dos bens comuns, para gerar convergências entre eles e atingir diferentes impactos:

  • Posicionar o debate acerca do recente paradigma dos Commons ao interior dos movimentos sociais latino-americanos.
  • Enriquecer este recente paradigma sobre os Commons com elementos teóricos e metodológicos construídos desde a experiência histórica de América Latina.
  • Sensibilizar a sociedade civil e os governos sobre o crescente movimento global marcado pela filosofia do Pro-común e P2P.
  • Identificar e denunciar os problemas relacionados aos Commons em América Latina.
  • Incluir a perspectiva das mulheres no debate e nas práticas dos bens comuns.
  • Gerar idéias, sonhos, práticas e utopias para orientar a construção de uma nova sociedade.
  • Influenciar os processos e desenvolvimento de políticas públicas sobre o bens comuns naturais, culturais, científicos e tecnológicos.
  • Propor diretrizes de políticas públicas sobre os bens comuns.
  • Unir Norte-Sul em torno dos problemas e alternativas relacionadas aos bens comuns na América Latina.
  • Fortalecer o emergente movimento latino-americano sobre os bens comuns.

Importância do projeto:
A idéia do documental #VisõesComuns: narrativas de um mundo emergente, nasce a partir da constatação irrevogável de que estamos diante de um mundo emergente, construídos a partir de práticas concretas, sustentadas por teorias emancipatórias e animado por irreverencias criativas.

Os Movimentos Sociais latino-americanos, com muitas complexidades, estão questionando os poderes políticos, econômicos e sociais pré-estabelecidos e excludentes. E assim, uma cadeia de resistências é tecida em todo o mundo, de modo subterrâneo, muitas vezes invisível para a mídia que supostamente defende a liberdade de expressão.

O documental tem como objetivo construir pontes entre as várias alternativas anti-sistêmicas e os processos políticos da região, tentando integrar os possíveis caminhos para a construção de um modelo de sociedade que nos permite viver em maior harmonia com o meio ambiente e garantir o acesso e a gestão comunitária e coletiva dos bens comuns.

Última modificación: 6 de julio de 2013 a las 14:29
Hay 0 comentarios
captcha
Quiero ser notificado por email cuando haya nuevos comentarios.